NOTÍCIAS

by Jorge Gonçalves on 7 Fevereiro 2012 01:30CES Las Vegas 2012-6ª parte

As válvulas e os sons analógicos

A VTL, a VAC e vários outros

A VTL estava presente em várias salas do CES mas na sua sala principal a estrela era o amplificador estéreo S-400 Series II Reference, combinado com as colunas Avion, da Rockport. Este é um amplificador extremamente poderoso mas, ao mesmo tempo, muito revelador, fazendo jus à fonte dCS Paganini.
A Audio Note estava igualmente presente em várias salas mas tenho que confessar que as últimas evoluções ligadas com a utilização do nome da marca colocam as coisas num ponto algo confuso: durante vários anos, tínhamos apenas a Audionote U.K, com Peter Qvortrup como seu mentor e como resultado de uma cisão que tinha ocorrido em relação à marca original, oriunda do Japão. No Japão existia a Kondo, o que não criava de modo nenhum confusão com a designação da marca. Algo deverá ter ocorrido pelo meio, e agora tínhamos no CES a Kondo a utilizar o nome Audio Note, com as duas palavras separadas e com um logótipo diferente, no qual consta o nome Kondo. Há que concordar que isto não facilita a vida a um pobre jornalista. Como dentro de um mês vou a Inglaterra visitar a Audionote UK, talvez na altura Peter me explique mais em detalhe o ponto actual da situação.
Voltando então ao início a Audio Note (Kondo) tinha como centro das atenções o prévio topo de gama G-1000, em dois chassis separados, mas sobre o qual não existia nenhuma informação – o folheto sobre o produto tem três ou quatro frases e nada mais. Igualmente novidades eram o prévio de Phono GE-1 e o transformador de MC para MM CFz. A unidade phono aceita cabeças do tipo MM, tendo duas entradas seleccionáveis, com um ganho de 34 dB. É mais que evidente que o CFz, com uma relação de transformação que permite uma amplificação de 34 dB (a designação correcta não é esta, porque um transformador não amplifica, transforma, mas deixemos o caso assim) é o par ideal para o GE-1 sempre que se queira utilizar uma cabeça MC.
A VAC tinha em demonstração os poderosos amplificadores monobloco Statement 450, conjugado com o prévio Signature Mk IIa e o gira-discos Clearaudio Innovation Wood e as colunas Tannoy Kingdom Royal. Ouvi lá a música Duke’s Place, cantada por Louis Armstrong, numa versão de vinilo a 45 r.p.m. e posso confirmar que foi mais um memorável momento musical. Valeu a pena ter feito este momento de paragem no meio da lufa-lufa de mais um dia de CES.
Na Air Tight brilhavam os espantosos monoblocos ATM 3011, combinados com as Sonus Faber Ktema. Já as Franco Serblin Accordo Monitor combinavam com o amplificador integrado ATM-300. Em ambos dos casos a qualidade som era exactamente aquilo que eu esperaria da Air Tight, até porque a fonte analógica era um Transrotor Fat Bob S e a cabeça uma PC-1 Supreme, amplificada pela unidade phono ATE-2. E que surpresa não foi ouvir as pequeninas colunas Aracraft a tocar com o ATM-2 e o Accuphase DP-600. Como é que umas colunas tão minúsculas conseguem soar tão bem? Só a Air Tight sabe.
A PrimaLuna expunha com justificado orgulho a versão Premium do amplificador integrado Dialogue. Os componentes são de altíssima qualidade, tais como resistências Takman (japonesas), condensadores de filme fino da SRC e potenciómetro Alps. Na préamplificação utilizam-se nada menos de 6 válvulas 12AU7 e no andar de saída o utilizador pode escolher entre 6L6GC, KT66, EL34, KT77, 6550, KT88 e ainda KT120. Um circuito exclusivo de eliminação da componente contínua da tensão de sector garante um funcionamento silencioso do transformador de alimentação.
A Ayon Audio tinha uma sala em conjunto com a AVM, a Legacy e Block, talvez demasiado cheia de material. De qualquer modo, brilhavam aí os amplificadores Triton (2x125 Watt por canal) e o novo Music Server S-3. No primeiro caso trata-se de um amplificador integrado a válvulas com KT88 na saída (com alimentação de placa estabilizada por choque), transformadores de alimentação separados para filamentos e alta tensão, cablagem interna com fio de prata e muito mais que seria fastidioso descrever.
E no que tem a ver com o S-3 temos uma combinação interessante de tecnologias novas (streaming ) e menos novas (as válvulas). Temos aqui um leitor de áudio em rede e um conversor D/A de alto nível que aceita ficheiros FLAC, LPCM, WAV e AIFF, com resoluções de até 24 bit/192 kHz. Para já a ligação faz-se através de cabo Ethernet/100 Mbit/s, mas está prevista de origem a integração de um módulo Wi-Fi.
E não é que Bob Carver, um nome que já tem um bom número de anos no mercado, está de regresso? Parece que tem uma capacidade que inesgotável de sobrevivência e aí estava então com dois amplificadores monobloco a válvulas, o Cherry 180 e o Black Beauty, o primeiro a debitar 180 W por chassis e o segundo a atingir já o bem respeitável valor de 205 W. Seguramente serão ma boa companhia para a enésima versão das suas colunas planas, agora designadas por KingSound e adoptando a tecnologia electrostática.
Impressionante era igualmente o amplificador integrado da Sinergy, designado por DMA, construído de modo a simular dois monoblocos montados num único chassis. Tem controlo remoto e o volume é ajustado através da comutação de uma malha de mais de cem resistências através de relés selados. Na saída temos seis válvulas EL34 por canal, na configuração push-pull paralelo, o que permite disponibilizar uma potência de 150 W por canal.
E ficam agora aqui algumas palavras mais para a EMM Labs, um fabricante que tem vindo a ganhar prestígio de ano para ano que tinha no CES um verdadeiro arsenal de equipamentos: fonte XD51, o novo leitor SACD da marca, e conversor externo multicanal DAC6SE, prévio PRE2 (dois), tudo isto com amplificadores de potência da Pass, os X350.2, e colunas Sony SSAR-1 (quatro, para as gravações multicanal). Depois de passar o labirinto de panos negros suspensos do teto, foi muito agradável ouvir este belo sistema: limpo, sem qualquer indício de compressão digital e com uma espacialidade assombrosa. Fiquei tão agradado com a audição que trouxe comigo uma boa dezena de CDs que estava em venda na sala ao lado.
Duas outras marcas bem interessantes são a Peachtree, que se começou a dedicar aos produtos digitais aqui há uns aos e tem já uma ampla gama de equipamentos a soar muito bem e muito bem construídos, e a Fosgate, uma marca que era mais do campo profissional mas todos os anos aparece com alago novo dirigido ao mundo audiófilo. O amplificador de auscultadores Signature utiliza válvulas 12AX7 como elementos amplificadores, ligadas em cátodo comum (sem transformador de saída). O aspecto é de nos abrir o apetite e o som não lhe fica atrás.

» Próxima página (A fechar, os equipamentos analógicos - 3/3)

Logo Revismarket